Acessibilidade na Arquitetura

Acessibilidade na Arquitetura

Legislação sobre Acessibilidade na Arquitetura

O NBR 500, da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), foi a primeira medida adotada pelos organismos oficiais que reitera a garantia de acessibilidade. A Constituição Federal de 1988 também se refere à lei, mas não reivindica ações para este propósito.

Acessibilidade na Arquitetura

As primeiras leis foram criadas no ano de 2000, e tornaram-se colecionadores apenas em 2005.

A proposta é disseminar o conceito de Design Universal e estabelecer um foco mais amplo, não restrito apenas às pessoas com deficiência, mas tendo em conta quem tem dificuldades de mobilidade, gestantes, idosos e obesos, garantindo o direito constitucional à acessibilidade.

Como é o Projeto Acessível?

O conceito de acessibilidade em arquitetura aplica-se diretamente à concepção de espaços, para a escolha inteligente de revestimentos e a seleção precisa dos melhores dispositivos e ferramentas, como suportes, barras, artigos de decoração, sinalização, entre outros. Tudo isso em espaços públicos e privados.

O espaço deve atender os usuários, já que o movimento oposto, em que o usuário se adapta, é incompatível com a proposta de inclusão e democratização.

Além disso, o campo da arquitetura deve abordar todas as variáveis de população, ou seja, as diretrizes para os projetos vão além do que é apropriado apenas para os deficientes e para os idosos, mas devem satisfazer as necessidades de todos, tendo em conta as fases e as possíveis situações (por exemplo, o período de crescimento das crianças e das circunstâncias temporais de fraturas).

Os 7 princípios que os sustentam são:

-Uso flexível: escala de preferências e habilidades;

-Simples e intuitivo: fácil de entender;

-Informação perceptível: comunicação eficaz com a informação necessária através da visão,   audição ou olfato.

-Uso equivalente: destinado a pessoas com deficiência;

-Com baixos requisitos de esforço físico

-Tolerante ao erro: reduz os riscos de ações involuntárias.

Tamanho e espaço para o acesso e utilização, mesmo para pessoas com deficiência e pessoas com mobilidade reduzida.